Novas mídias, um novo desafio – opinião

OPINIÃO

por Caetano Maia

O impacto das novas mídias, pós-internet, é avassalador, se pensarmos na capilaridade.

Porem, me parece mais do mesmo, travestido numa forma cada vez mais individualizada. É a mesma massificação ideológica/comercial de sempre, com a qual estamos acostumados com a TV, os jornais e o rádio. Só que este formato está sendo substituído/complementado pelo acesso direto da oferta ao individuo, pelo seu aparelho portátil pessoal.

De alguma forma, antes cabia a agência apresentar ao seu cliente uma forma de comunicação dirigida à família-alvo ou a classe social X. Hoje, existe a necessidade desta comunicação ser dirigida ao indivíduo, enquanto unidade consumidora que é, independente e não mais atrelado a um padrão regido pelo status-quo de sua família ou grupo social.

A comunicação passa a ser dirigida, focada no individuo, no seu aparelho portátil, e descobrir a melhor forma de “conversar através dele”. Uns 90 anos atrás (muito. deve ter sido em meados dos anos 1950/60), o autor Arthur C. Clarke descreveu em suas magníficas histórias de ficção cientifica um aparelhinho portátil, do tamanho de uma calculadora de bolso, poderoso em processamento e em memória. Nele, o ser humano guarda e tem tudo. Ele descrevia um smartphone. É este dispositivo móvel, portátil e extremante pessoal que deve ser o nosso novo alvo. É através dele que se chegará ao indivíduo, o novo consumidor, um ser alheio ao aspecto homogêneo social, e o alvo de nossas atenções comerciais.

Imagine a cena:

  1. entro num shopping center, meu Smartphone vibra e sou saudado pelo meu nome, bem vindo Caetano. Uma lista de promoções do dia aparece imediatamente na minha tela. clicando na promoção de sapatos, um mapinha do shopping, mostrando minha posição exata e qual o caminho devo percorrer pra chegar na loja;
  2. no caminho, telas em display escrevem pra mim, por 10 segundos “_Ei Caetano, vc está no caminho certo, pode continuar!”
  3. chego na loja. Lá dentro outro painel fala comigo”_Obrigado por vir Caetano. A vendedora Elisa já está indo ao seu encontro!”
  4. Em instantes chega Elisa, vinda do estoque, com o modelo do sapato da promoção que eu tinha gostado. Pelo meu registro no sistema, eu calço 42.
  5. Experimentei, gostei. Clico na minha telinha pagar, digito minha senha, o debito é processado, enquanto eu e Elisa olhamos juntos para o painel da loja, que em segundos escreve”_Obrigado Caetano, seu pagamento foi recebido”
  6. Saio da loja e meu telefone vibra de novo….

As pessoas vão se sentir cada vez mais únicas, exclusivas. Vão se instalar em seus “ninhos”, cercados por amigos e iguais (redes sociais), e agir e interagir com o mundo a partir daí.

Caetano Alvarenga Maia – 45 anos – bacharel em comunicação social, pos-grad. Gestão de Empresas, Webmaster no GQP-www.gentequepensa.com.br

  publicado também aqui

Deixe um comentário seu!

%d blogueiros gostam disto: